Archive for junho \23\UTC 2011

CORPUS CHRISTI

junho 23, 2011

Corpus Christi (expressão latina que significa Corpo de Cristo) é uma festa que celebra a presença real e substancial de Cristo na Eucaristia.

É realizada na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade que, por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes. É uma festa de ‘preceito’, isto é, para os católicos é de comparecimento obrigatório participar da Missa neste dia, na forma estabelecida pela Conferência Episcopal do país respectivo.

A procissão pelas vias públicas, quando é feita, atende a uma recomendação do Código de Direito Canônico (cân. 944) que determina ao Bispo diocesano que a providencie, onde for possível, “para testemunhar publicamente a adoração e a veneração para com a Santíssima Eucaristia, principalmente na solenidade do Corpo e Sangue de Cristo.” É recomendado que nestas datas, a não ser por causa grave e urgente, não se ausente da diocese o Bispo (cân. 395).

A origem da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo remonta ao Século XIII. A Igreja Católica sentiu necessidade de realçar a presença real do “Cristo todo” no pão consagrado. A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a Bula ‘Transiturus’ de 11 de agosto de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, que acontece no domingo depois de Pentecostes.

O Papa Urbano IV foi o cônego Tiago Pantaleão de Troyes, arcediago do Cabido Diocesano de Liège na Bélgica, que recebeu o segredo das visões da freira agostiniana, Juliana de Mont Cornillon, que exigiam uma festa da Eucaristia no Ano Litúrgico.

Por solicitação do Papa Urbano IV, que na época governava a igreja, os objetos milagrosos foram para Orviedo em grande procissão, sendo recebidos solenemente por sua santidade e levados para a Catedral de Santa Prisca. Esta foi a primeira procissão do Corporal Eucarístico. A 11 de agosto de 1264, o Papa lançou de Orviedo para o mundo católico através da bula Transiturus do Mundo o preceito de uma festa com extraordinária solenidade em honra do Corpo do Senhor.

A festa de Corpus Christi foi decretada em 1269.

O decreto de Urbano IV teve pouca repercussão, porque o Papa morreu em seguida. Mas se propagou por algumas igrejas, como na diocese de Colônia na Alemanha, onde Corpus Christi é celebrada desde antes de 1270. A procissão surgiu em Colônia e difundiu-se primeiro na Alemanha, depois na França e na Itália. Em Roma é encontrada desde 1350.

A Eucaristia é um dos sete sacramentos e foi instituído na Última Ceia, quando Jesus disse: ‘Este é o meu corpo…isto é o meu sangue… fazei isto em memória de mim’. Porque a Eucaristia foi celebrada pela 1ª vez na Quinta-Feira Santa, Corpus Christi se celebra sempre numa quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade. Neste Sacramento, no momento da Consagração, ocorre a transubstanciação, ou seja, o pão se torna carne e o vinho sangue de Jesus Cristo, em toda Santa Missa, mesmo que esta transformação da matéria não seja visível.

Corpus Christi é celebrado 60 dias após a páscoa.

O unigênito Filho de Deus, querendo fazer-nos participantes da sua divindade,assumiu nossa natureza, para que, feito homem, dos homens fizesse deuses.
Assim, tudo quanto assumiu da nossa natureza humana, empregou-o para nossa salvação. Seu corpo, por exemplo, ele o ofereceu a Deus Pai como sacrifício no altar da cruz, para nossa reconciliação; seu sangue, ele o derramou ao mesmo tempo como preço do nosso resgate e purificação de todos os nossos pecados.
Mas, a fim de que permanecesse para sempre entre nós o memorial de tão imenso benefício, ele deixou aos fiéis, sob as aparências do pão e do vinho, o seu corpo como alimento e o seu sangue como bebida.
Ó precioso e admirável banquete, fonte de salvação e repleto de toda suavidade! Que há de mais precioso que este banquete? Nele, já não é mais a carne de novilhos e cabritos que nos é dada a comer, como na antiga Lei, mas é o próprio Cristo, verdadeiro Deus, que se nos dá em alimento. Poderia haver algo de mais admirável que este sacramento?
De fato,nenhum outro sacramento é mais salutar do que este;nele os pecados são destruídos,crescem as virtudes e a alma é plenamente saciada de todos os dons espirituais.
É oferecido na Igreja pelos vivos e pelos mortos, para que aproveite a todos o que foi instituído para a salvação de todos.
Ninguém seria capaz de expressar a suavidade deste sacramento; nele se pode saborear a doçura espiritual em sua própria fonte; e torna-se presente a memória daquele imenso e inefável amor que Cristo demonstrou para conosco em sua Paixão.
Enfim, para que a imensidade deste amor ficasse mais profundamente gravada nos corações dos fiéis, Cristo instituiu este sacramento durante a última Ceia, quando, ao celebrar a Páscoa com seus discípulos, estava prestes a passar deste mundo para o Pai. A Eucaristia é o memorial perene da sua Paixão, o cumprimento perfeito das figuras da Antiga Aliança e o maior de todos os milagres que Cristo realizou. É ainda singular conforto que ele deixou para os que se entristecem com sua ausência.
— Das Obras de Santo Tomás de Aquino, presbítero (século XIII)
 

HOMILIA DO SANTO PADRE
 DURANTE A SOLENIDADE
 DO SANTÍSSIMO CORPO
 E SANGUE DE CRISTO

14 de Junho de 2001

 


1. “Ecce panis Angelorum / factus cibus viatorum:  / vere panis filiorum Eis o pão dos Anjos, / feito pão dos peregrinos, / verdadeiro pão dos filhos” (Sequência).

Hoje a Igreja mostra ao mundo o Corpus Domini o Corpo de Cristo. E convida-nos a adorá-Lo:  Venite adoremus Vinde, adoremos!

O olhar dos crentes concentra-se no Sacramento, em que Cristo se deu totalmente a si mesmo:  Corpo, Sangue, Alma e Divindade. Por isso foi sempre considerado o mais Santo:  o “Santíssimo Sacramento”, memorial vivo do Sacrifício redentor.

Voltamos, na solenidade do Corpus Domini, àquela “Quinta-feira” a que todos chamamos “santa”, na qual o Redentor celebrou a sua última Páscoa com os discípulos:  foi a Última Ceia, cumprimento da ceia pascal hebraica e inauguração do rito eucarístico.

Por isso a Igreja, desde há séculos, escolheu uma quinta-feira para a solenidade do Corpus Domini, festa de adoração, de contemplação e de exaltação. Festa em que o Povo de Deus se reúne à volta do tesouro mais precioso herdado de Cristo, o Sacramento da sua própria Presença, e O louva, canta e leva em procissão pelas ruas da cidade.

2. “Lauda, Sion, Salvatorem!” (Sequência).

A nova Sião, a Jerusalém espiritual, em que se reúnem os filhos de Deus de todos os povos, línguas e culturas, louva o Salvador com hinos e cânticos. Com efeito, são inexauríveis a admiração e o reconhecimento pelo dom recebido. Este dom “é maior do que qualquer louvor, não existe um cântico que seja digno” (ibid.).

Eis um mistério sublime e inefável. Mistério perante o qual permanecemos estupefactos e silenciosos, em atitude de contemplação profunda e extasiada.

3. “Tantum ergo Sacramentum veneremur cernui Adoremos, prostrados, este sacramento tão grande”.

Na Sagrada Eucaristia está realmente presente Cristo, morto e ressuscitado por nós.

No Pão e no Vinho consagrados permanece connosco o mesmo Jesus dos Evangelhos, que os discípulos encontraram e seguiram, que viram crucificado e ressuscitado, cujas chagas Tomé tocou, prostrando-se em adoração e exclamando:  “Meu Senhor e meu Deus!” (Jo 20, 28; cf. ibid., 17, 20).

No Sacramento do altar é oferecida à nossa amorosa contemplação toda a profundidade do mistério de Cristo, o Verbo e a carne, a glória divina e a sua morada entre os homens. Perante Ele, não podemos duvidar de que Deus está “connosco”, que assumiu em Jesus Cristo todas as dimensões humanas, excepto o pecado, despojando-se da sua glória para com ela nos revestir a nós (cf. ibid., 21, 23).

No seu Corpo e no seu Sangue manifesta-se o rosto invisível de Cristo, Filho de Deus, na modalidade mais simples e ao mesmo tempo mais nobre possível neste mundo. Aos homens de todos os tempos que, perplexos, pedem:  “Queremos ver Jesus” (Jo 12, 21), a Comunidade eclesial responde repetindo o gesto que o próprio Senhor realizou para os discípulos de Emaús:  parte o pão. Então, ao partir o pão, abrem-se os olhos de quem o procura com coração sincero. Na Eucaristia o olhar do coração reconhece Jesus e o seu inconfundível amor que se dá “até ao fim” (Jo 13, 1). E n’Ele, naquele seu gesto, reconhece o Rosto de Deus!

4. “Ecce panis Angelorum… vere panis filiorum Eis o pão dos Anjos… verdadeiro pão dos filhos”.

Deste pão nos alimentamos para nos tornarmos testemunhas autênticas do Evangelho. Precisamos deste pão para crescer no amor, condição indispensável para reconhecer o rosto de Cristo no rosto dos irmãos.

A nossa Comunidade diocesana tem necessidade da Eucaristia para prosseguir o caminho de renovação missionária que empreendeu. Precisamente nos últimos dias foi realizado em Roma o congresso diocesano que analisou “as perspectivas de comunhão, formação e missionariedade na Diocese de Roma nos próximos anos”. É necessário continuar a caminhar “partindo” de Cristo, ou seja, da Eucaristia. Caminhamos com generosidade e coragem, procurando a comunhão dentro da nossa Comunidade eclesial e dedicando-nos com amor ao serviço humilde e abnegado de todos, sobretudo os mais necessitados.

Neste caminho, precede-nos Jesus com o dom de si até ao sacrifício e oferece-se a Si mesmo a nós como alimento e amparo. Aliás, em todos os tempos, não cessa de repetir aos Pastores do Povo de Deus:  “Dai-lhes vós mesmos de comer” (Lc 9, 13); reparti para todos este pão de vida eterna.

Tarefa comprometedora e exaltante. Missão que permanece pelos séculos dos séculos.

5. “Todos comeram e ficaram saciados” (Lc 9, 17). Através das palavras do Evangelho, que há pouco escutámos, chega até nós o eco de uma festa que, desde há dois mil anos, não tem fim. Festa do povo a caminho no êxodo do mundo, alimentado por Cristo, verdadeiro Pão de salvação.

No final da Santa Missa também nós nos poremos a caminho no centro de Roma, levando o Corpo de Cristo escondido nos corações e bem visível no ostensório. Acompanharemos o Pão de vida imortal pelas ruas da Cidade. Adorá-lo-emos  e  à  sua  volta  reunir-se-á  a Igreja, ostensório vivo do Salvador do mundo.

Oxalá os cristãos de Roma, fortalecidos pelo seu Corpo e pelo seu Sangue, mostrem Cristo a todos com o seu modo de viva:  com a sua unidade, com a sua fé jubilosa, com a sua bondade!
Que a nossa Comunidade diocesana recomece corajosamente a partir de Cristo, Pão de vida imortal!

E Tu, Jesus, Pão vivo que dá a vida, pão dos peregrinos, “alimenta-nos e defende-nos / conduz-nos para os bens eternos / na terra dos vivos”. Amen.

 JOÃO PAULO II

PODER PARALELO NA IGREJA

junho 18, 2011

SANTO ANTONIO

junho 12, 2011

Santo António, de seu nome Fernando, filho de Martim de Bulhões e Maria Teresa Taveira Azevedo, nasceu em Lisboa entre 1191 e 1195, (aceita-se oficialmente a data de 15 de Agosto de 1195), numa casa próxima da Sé de Lisboa, às portas da cidade, no local, assim se pensa, onde posteriormente se ergueu a igreja sob sua invocação.

Fez os primeiros estudos na Igreja de Santa Maria Maior (hoje Sé de Lisboa), ingressando mais tarde, por volta de 1210 ou 1211, como noviço, na Ordem dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho, no Mosteiro de São Vicente de Fora, guiado pela mão do então prior D. Estêvão.

Permaneceu em São Vicente de Fora por três anos, tendo com 18 ou 19 anos entrado no Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, ao tempo um importante centro de cultura medieval e eclesiástica da Europa, onde realizou os estudos em Direito Canónico, Filosofia e Teologia.

O martírio de cinco franciscanos, decapitados em Marrocos, e a vinda dos seus restos mortais em 1220 para Coimbra fizeram Fernando abraçar o espírito de evangelização e trocar a Regra de Santo Agostinho pela Ordem de São Francisco, recolhendo-se no Eremitério dos Olivais de Coimbra e mudando então o nome para António.

Na Itália e no Sul de França

Por essa altura, decidiu deslocar-se a Marrocos em acção de evangelização, onde esteve, mas acometido por grave doença decidiram os Superiores da Ordem repatriá-lo. No regresso, uma forte tempestade arrastou o barco para as costas da Sicília. É aqui, na Itália, que António se notabilizaria como exímio teólogo e grande pregador.

Em Março de 1222, em Forlì, dissertou para religiosos franciscanos e dominicanos de forma tão fluente e admirável que o Provincial da Ordem o destinou de imediato à evangelização e difusão da doutrina.

Fixou-se então em Bolonha onde se dedicou ao ensino da Teologia e à pregação, nomeadamente contra as heresias dos Cátaros, Patarinos e Valdenses, o que lhe valeu o título de incansável martelo dos hereges.

Seguiu depois para França com o objectivo de pregar contra os Albigenses e em 1225 é pregador em Toulouse. Na mesma época foi-lhe confiada a guarda do Convento de Puy-en-Velay e teria à sua guarda igualmente a Província de Limoges, por escolha dos frades da Província. Dois anos mais tarde instalou-se em Marselha, mas brevemente seria escolhido para Provincial da Romanha.

Em Outubro de 1226 morreu Francisco de Assis. António assistiu à canonização de São Francisco em 1228. Neste ano deslocou-se a Ferrara, Bolonha e Florença. Durante 1229 as suas pregações dividiram-se entre Varese, Bréscia, Milão, Verona e Mântua. Esta actividade absorvia-o de tal maneira que passou a dedicar-se exclusivamente a ela.

Em 1231, e após contactos com o papa Gregório IX, regressou a Pádua, sendo a quaresma desse ano marcada por uma série de sermões da sua autoria.

Bastante doente, faleceu a 13 de Junho de 1231 no Oratório de Arcela. Os seus restos mortais repousam na Basílica de Santo Antonio em Pádua, construída em sua memória.

TREZENA DE SANTO ANTONIO

 

Vinde Ó Deus em meu auxílio!
Socorrei-me sem demora!

Senhor meu Jesus Cristo, Deus e homem verdadeiro, Criador e redentor meu, por ser Vós quem sois, e porque vos amo sobre todas as coisas, a mim me pesa de todo coração ter-vos ofendido, e proponho firmemente nunca mais pecar, confessar-me, cumprir a penitência que me for imposta e apartar-me de todas as ocasiões de ofender-Vos.

Dignai-vos abençoar essa Trezena que celebramos em seu louvor,pela intercessão do Teu querido servo Santo Antônio.

Glorioso Santo Antônio, confiando na vossa incomparável bondade e no grande poder de intercessão que tendes junto a Deus, a vós me dirijo nessa Trezena que vos ofereço.Santo Antônio, meu grande protetor: apresento-me a vós, pedindo-vos que alcanceis de Deus o perdão dos meus pecados, o espírito de conversão, o crescimento no amor de Deus, e a perseverança no Bem, até o fim de minha vida. O que especialmente vos peço é a seguinte graça: (faz-se o pedido). Se esta não for conveniente para minha salvação, alcance-me a perfeita conformidade com a vontade divina.

Santo Antônio, nestes dias que consagro à vossa honra, rezando esta Trezena, como em todos os dias da minha vida, fazei com que eu conserve a graça e amizade divinas, que d’Ele nunca me afaste pelo pecado e que enfim tenha a felicidade de amá-lO e gozá-lO para sempre, em vossa companhia, na felicidade eterna do céu. Fazei que, durante estes 13 dias que vos consagro, eu aprenda de vós a amar a Deus e ao próximo.Por Jesus Cristo Nosso Senhor.Amém”

Orações feitas pelo próprio Santo Antônio .Rezemos todos os dias da Trezena:

BREVE DE SANTO ANTÔNIO:

Eis a cruz do Senhor!
Fugi forças inimigas!
Venceu o Leão de Judá,
A raiz de David! Aleluia !

A TI SENHOR, O LOUVOR !

Senhor Jesus Cristo, infunde em nós a Tua graça,com a qual e da qual recebemos a plenitude da verdadeira vida.Roga por nós ao Pai para que tenhamos uma fé viva e mereçamos alcançar um lugar na vida eterna,com a Tua ajuda .Tu que és o princípio e o fim,Digno de louvor admirável e inefável,pelos séculos dos éculos, Amém !

SÚPLICA A JESUS CRISTO:

Jesus,Senhor misericordioso, vem e fica conosco; perdoa os nossos pecados, dá-nos a paz; afasta dos corações toda a dúvida e temor , revigora em nós a fé na Tua Paixão e na Tua Ressurreição, para que, por tua graça, mereçamos a vida eterna, Amém !
Ó Jesus, Filho de David, tem piedade de nós ! Ó Fonte de compaixão e de perdão, que brotastes da bendita Virgem Maria,lava a imundície de nossos pecados, e não nos prives da herança celeste.Amém


DÁ-NOS PARTICIPAR DAS NÚPCIAS:
Conceda-nos, Senhor Jesus Cristo,participar com fé e humildade, das núpcias da Tua encarnação, e celebras as núpcias da penitência, a fim de poder tomar parte,nas núpcias da glória celeste.Conceda-nos esta graça,Tu que és bendito pelos séculos dos séculos ,amém !
PRENDE-NOS A TI SENHOR !
Nós te suplicamos Senhor Jesus Cristo,que nos prenda a Ti e ao próximo com o laço do amor.Que possamos amar-te , fortemente, com toda a alma,para não sermos enganados; docemente com todas as forças ,para não sermos seduzidos por outros amores e desviados do teu amor.Que amemos nossos irmãos, como a nós mesmos.Com a Tua ajuda Ó Senhor, que és bendito pelos séculos, Amém !

 

Oração do 1º Dia:
PALAVRA DO SANTO: “São os pobres, o simples ,os humildes que têm fome e sede da palavra de Deus”.
Invencível Santo Antônio, mártir pelo desejo, pelo fervor do amor que vos inflamou com o ardente anseio de derramar o vosso sangue por Nosso Senhor Jesus Cristo, invocamos o vosso auxílio para que nos assistais a nós e a todos os agonizantes na hora da nossa morte, e para que obtenhais o eterno descanso para as almas do purgatório.
Ó glorioso Santo António que recebeste de Deus o poder de ressuscitar os mortos, acorda o meu coração da preguiça e faz desabrochar uma vida de verdadeira fé.
Santo Antônio , orador,despachai o meu pedido por amor de Nosso Senhor . (Pedir a graça com fé que deseja alcançar nessa Trezena).

 

Oração 2º dia
PALAVRA DO SANTO:” A pessoa reza quando adere a Deus no amor, e, em certo sentido, fala com Deus de maneira familiar e devota “.
Ó Santo Antônio, grande Doutor da Igreja, que ilustrastes a eterna e imutável verdade tanto pela palavra como pelo exemplo, nós vos imploramos que nos conserveis na fé católica, que convertais os que estão fora da nossa Igreja e que extirpeis todos os erros e falsidades. Obtende também que os Governantes e os Magistrados exerçam a justiça com eqüidade e para o bem do povo.
O sábio Santo António que pela tua Sabedoria foste luz por toda a Igreja e por todo o mundo, iluminai a minha inteligência abrindo-a à verdade de Deus.
Santo Antônio , orador,despachai o meu pedido por amor de Nosso Senhor . (Pedir a graça com fé que deseja alcançar nessa Trezena).

 

Oração do 3º Dia:
PALAVRA DO SANTO: “ A verdade convence a nossa linguagem é penetrante quando é nosso agir que fala “.
Ó bondoso consolador Santo Antônio! Nunca quem procurou o vosso auxílio deixou de ser atendido. Humildemente vos suplicamos que nos auxilieis, a nós e a todo o mundo, nas calamidades e aflições; preservai-nos da falta de arrependimento, da covardia e do desespero; afastai de nós toda a intolerância e toda a discórdia.
Ó Santo António rico de piedade que amparas logo os que te invocam, auxilia-me nas necessidades atuais.
Santo Antônio , orador,despachai o meu pedido por amor de Nosso Senhor . (Pedir a graça com fé que deseja alcançar nessa Trezena).

 

Oração do 4º Dia:
PALAVRA DO SANTO: “ Para o Cristão crer em Deus, não significa tanto acreditar que Ele é verdadeiro e fiel, significa sim acreditar amando”.
Santo Antônio, fervoroso adorador de Nosso Senhor Jesus Cristo, que ateastes em toda a parte o fogo da caridade perante o qual os demônios fugiam, guardai as nossas almas e os nossos corpos, e defendei-os contra as tentações de Satanás, para que ele não tenha o poder de nos molestar em pensamentos, palavras e obras, e afastai de nós todos os vãos receios e imaginações.
Ó generoso Santo António que respondeste ao chamamento de Deus, consagrando a Tua vida ao serviço do Evangelho, faz que possa escutar docilmente a voz do Senhor.
Santo Antônio , orador,despachai o meu pedido por amor de Nosso Senhor . (Pedir a graça com fé que deseja alcançar nessa Trezena).

 

Oração do 5º Dia:
PALAVRA DO SANTO: “ A Esperança é a expectativa dos bens futuros… Ao desesperado falta a coragem para progredir “.
Ó maravilhoso pregador Santo Antônio, a cujas poderosas palavras nenhum pecador podia resistir, humildemente vos suplicamos que preserveis os nossos corpos de febres, feridas e doenças infecciosas, e as nossas almas da lepra do pecado.
Ó Santo António, modelo de Santidade não permitas que a minha existência fique manchada pelo pecado e ajuda-me a viver com modéstia e sobriedade.
Santo Antônio , orador,despachai o meu pedido por amor de Nosso Senhor . (Pedir a graça com fé que deseja alcançar nessa Trezena).

 

Oração do 6º Dia:
PALAVRA DO SANTO:
“ Existe um só amor ,para com Deus e para com o próximo .Este é o Espírito Santo porque Deus é Amor”.
Ó milagroso Taumaturgo Santo Antônio, em quem Deus manifestou o seu poder , livrai-nos de todas as fraquezas e enfermidades para que possamos sempre glorificar Deus Todo Poderoso, sãos de espírito e de corpo, e fortes de alma.
Ó querido Santo António por cuja intercessão todos os doentes encontram saúde, orienta a minha alma, cura-a das culpas e dos hábitos maus.
Santo Antônio , orador,despachai o meu pedido por amor de Nosso Senhor . (Pedir a graça com fé que deseja alcançar nessa Trezena).

 

Oração do 7º Dia:
PALAVA DO SANTO: “ Ele veio para ti para poderes ir a Ele”.
Santo Antônio, fiel guia dos viajantes, a quem Deus deu o poder de dominar as tempestades e de acalmar as ondas do mar, preservai-nos a nós e a todos os viajantes dos perigos do mar e da terra, e do naufrágio das nossas almas.
Ó Santo António que te esforçaste por salvar a todos, conduz-me no mar da vida e dá-me a graça de chegar ao porto da salvação.
Santo Antônio , orador,despachai o meu pedido por amor de Nosso Senhor . (Pedir a graça com fé que deseja alcançar nessa Trezena).

 

Oração do 8º Dia:
PALAVRA DO SANTO:
“ E, contato com o Espírito Santo,a alma vai,pouco a pouco, perdendo suas manchas, suas friezas, sua dureza e transformando-se totalmente, naquele fogo acesso nela”.
Ó valente confessor Santo Antônio, que libertastes das cadeias temporais os corpos dos homens, e das cadeias espirituais as suas almas, libertai os pobres cativos das prisões que não mereceram, e as almas que o pecado escraviza, das trevas dos seus cárceres espirituais, e auxiliai todos os que estão condenados à morte.
Ó Santo cheio de compaixão que ao longo da tua vida libertaste prisioneiros, que também eu seja liberto do pecado.
Santo Antônio , orador,despachai o meu pedido por amor de Nosso Senhor . (Pedir a graça com fé que deseja alcançar nessa Trezena).

 

Oração do 9º Dia:
PALAVRA DO SANTO:
“ O Senhor criou o paraíso terrestre e colocou nele o homem, para que o cultivasse e o guardasse .Infelizmente Adão o cultivou mal .Foi então necessário que Deus plantasse outro paraíso muitíssimo mais belo: NOSSA SENHORA !
Ó branca Flor da Pureza, Santo Antônio, que tivestes nos vossos braços virginais Jesus, o Filho de Deus, nós vos suplicamos que nos preserveis a nós, e a todos os que nos pertencem, dos males corporais; auxiliai também os surdos, os mudos, os cegos, os coxos, os disformes, e alcançai para eles a paciência necessária para suportarem as suas aflições. Ajudai também a preservar o corpo místico da Igreja, e fazei com que todas as nações, com os seus governantes e príncipes, se conservem fiéis ao seu chefe.
Ó Santo dos milagres não permitas que eu me afaste do Amor de Deus e me separe da unidade da Igreja.
Santo Antônio , orador,despachai o meu pedido por amor de Nosso Senhor . (Pedir a graça com fé que deseja alcançar nessa Trezena).

 

Oração do 10º Dia:
PALAVRA DO SANTO:
“ No altar sob as aparências de pão e vinho, está presente o próprio Jesus vivo e glorioso , revestido daquela carne humana com que, outrora Ele se ofereceu , e ainda hoje continua se oferecendo todos os dias como vítima ao divino Pai”.
Fidelíssimo Santo Antônio, que desprezastes os bens deste mundo para poderes obter as riquezas de Cristo, ajudai-nos a nunca desejar nada que nos seja prejudicial, preservai-nos de todas as ambições mundanas e obtende-nos que procuremos sempre a graça, e, se a perdermos, não descansemos até recuperá-la.
Ó Santo António solidário com os pobres, que ajudas a encontrar o que se perde, permite que eu nunca perca a amizade com Deus, mas a conserve todos os dias da minha vida.
Santo Antônio , orador,despachai o meu pedido por amor de Nosso Senhor . (Pedir a graça com fé que deseja alcançar nessa Trezena).

 

Oração do 11º Dia:
PALAVRA DO SANTO:

“ O cristão deve apoiar-se na Cruz de Cristo , como o peregrino se apóia no bastão quando empreende uma longa viagem…Dirijamos nossos olhares a Jesus, Nosso Senhor, pregado na Cruz da salvação”.
Santo Antônio, poderoso auxiliar, em quem o amor de Nosso Senhor Jesus Cristo obra tão grandes maravilhas, invocamos o vosso auxílio em todos os perigos, visíveis e invisíveis. Preservai-nos, pela vossa intercessão, dos nossos inimigos, dos raios, das tempestades, do incêndio e da guerra, e livrai-nos fielmente de todos os perigos da alma e do corpo.
Ó querido Santo António que escutas todos os que por ti clamam, escuta com bondade também a minha oração e apresenta-a a Deus para que seja atendida.
Santo Antônio , orador,despachai o meu pedido por amor de Nosso Senhor . (Pedir a graça com fé que deseja alcançar nessa Trezena).

 

    Oração do 12º Dia:
PALAVRA DO SANTO:
“ O fiel cristão iluminado pelo resplendor de Cristo, deve emitir centelhas de palavras e exemplo, para com eles,inflamar o próximo”
Santo Antônio, refúgio universal, nós vos suplicamos que nos socorrais em todas as aflições, na pobreza e na enfermidade; que consoleis as viúvas e os órfãos, e todos aqueles que vos invocam nas suas necessidades.
Ó Santo António apóstolo incansável da Palavra de Deus, ajuda-me a dar testemunho da minha fé com a palavra e o exemplo.
Santo Antônio , orador,despachai o meu pedido por amor de Nosso Senhor . (Pedir a graça com fé que deseja alcançar nessa Trezena).

 

Oração do 13º Dia:
PALAVRA DO SANTO:

“ Então teus olhos serão realmente saciados ,porque verás Aquele que tudo vê….Então tua alma será realmente uma rainha,ela que agora é uma escrava aqui no exílio, teu corpo ficará repleto de felicidade e tua alma será glorificada.Teu coração dilatar-se-á numa alegria indescritível”.
Ó Glorioso Santo Antônio, honra de Portugal, Apóstolo de todas as nações, manifestai-nos o poder milagroso que tem ganho vitórias tão maravilhosas sobre o erro e a descrença, e acendei nos nossos corações a chama da divina caridade e do amor fraterno, a fim de que, unidos no aprisco verdadeiro do Divino Pastor, possamos glorificar Aquele que, com o Pai e o Espírito Santo, vive e reina eternamente.
Ó bem-amado Santo António do Paraíso onde te encontras olha para as minhas necessidades: a tua língua milagrosa fale a Deus por mim, derrame a sua consolação e seja atendido nos meus pedidos.
Santo Antônio , orador,despachai o meu pedido por amor de Nosso Senhor . (Pedir a graça com fé que deseja alcançar nessa Trezena).

 

Oração Final
Glorioso Santo Antônio,
que tivestes a sublime dádiva de abraçar e afagar o Menino Jesus, alcançai-me desse mesmo Jesus , a graça que vos peço e vos imploro, do fundo do meu coração.
(Repetir o pedido com fé).

Vós, que tendes sido tão bondoso para com os pecadores,
não olheis para os poucos méritos de quem vos implora,
mas antes fazei valer o vosso grande prestígio junto a Deus
para atender o meu insistente pedido.Amém.

Lembrai-vos, glorioso Santo Antonio, amigo do Menino Jesus, filho querido de Maria Imaculada, de que nunca se ouviu dizer que alguém daqueles que têm recorrido a vós e implorado a vossa proteção tenha sido por vós abandonado.

Animado de igual confiança, venho a vós, fiel consolador e amparador dos aflitos. Gemendo sob o peso dos meus pecados, me prostro a vossos pés e, pecador como sou, ouso a me apresentar diante de vós. Não rejeiteis, pois, a minha súplica. Vós que sois tão poderoso junto ao Sagrado Coração de Jesus, mas escutai-a favoravelmente e dignai-vos a atendê-la. Amém!

Glorioso Santo Antônio, rogai por nós!

PAI NOSSO, que estais nos céus, Santificado seja o Vosso nome,Venha a nós o Vosso reino, seja feita a Vossa vontade, assim na terra como no céu.O PÃO NOSSO de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas ,assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido.Não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal.Amém.

Ave, Maria, cheia de graça!O Senhor é convosco!Bendita sois vós entre as mulheres
E bendito é o fruto do vosso ventre:Jesus!Santa Maria, Mãe de Deus,Rogai por nós, pecadores,
Agora e na hora da nossa morte.Amém!

Glória ao Pai ao Filho e ao Espírito Santo.Assim como era no princípio, agora e sempre. Amém

Responsório de Santo António

Se milagres desejais,
Recorrei a Santo António;
Vereis fugir o demónio
E as tentações infernais.

Recupera-se o perdido,
Rompe-se a dura prisão
E no auge do furacão
Cede o mar embravecido.

Todos os males humanos
Se moderam, se retiram,
Digam-no aqueles que o viram,
E digam-no os paduanos.

Repete-se: Recupera-se o perdido…

Pela sua intercessão
Foge a peste, o erro, a morte,
O fraco torna-se forte
E torna-se o enfermo são.

Repete-se: Recupera-se o perdido…

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo…

Repete-se: Recupera-se o perdido…

V: Rogai por nós, bem-aventurado Santo António.
R: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

OREMOS

Ó Deus, nós vos suplicamos, que alegre à Vossa Igreja a solenidade votiva do bem-aventurado Santo António, vosso Confessor e Doutor, para que, fortalecida sempre com os espirituais auxílios, mereça gozar os prazeres eternos. Por Jesus Cristo, Nosso Senhor. Ámen.

[Com aprovação eclesiástica]

PENTECOSTES

junho 12, 2011

 

 

 

 

 

“O Espírito é o único que pode ajudar às pessoas e as comunidades a libertarem-se dos velhos e novos determinismos, guiando-os com a lei do espírito que dá a vida em Cristo Jesus”
João Paulo II

 

Quem é o Espírito Santo?

Segundo o Catecismo da Igreja Católica, o Espírito Santo é a “Terceira Pessoa da Santíssima Trindade”. Quer dizer, havendo um só Deus, existem nele três pessoas diferentes: Pai, Filho e Espírito Santo. Esta verdade foi revelada por Jesus em seu Evangelho.

O Espírito Santo coopera com o Pai e o Filho desde o começo da história até sua consumação, quando o Espírito se revela e nos é dado, quando é reconhecido e acolhido como pessoa. O Senhor Jesus no-lo apresenta e se refere a Ele não como uma potência impessoal, mas como uma Pessoa diferente, com seu próprio atuar e um caráter pessoal.

O Espírito Santo, o Dom de Deus

“Deus é Amor” (Jo 4,8-16) e o Amor que é o primeiro Dom, contém todos os demais. Este amor “Deus o derramou em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Rm 5,5).

Poste que morremos, ou ao menos, fomos feridos pelo pecado, o primeiro efeito do Dom do Amor é a remissão de nossos pecados. A Comunhão com o Espírito Santo, “A graça do Senhor Jesus Cristo, e a caridade de Deus, e a comunicação do Espírito Santo sejam todos vossos” (2Cor 13,13;) é a que, na Igreja, volta a dar ao batizados a semelhança divina perdida com o pecado.

Pelo Espírito Santo nós podemos dizer que “Jesus é o Senhor”, quer dizer para entrar em contato com Cristo é necessário Ter sido atraído pelo Espírito Santo.

Mediante o Batismo nos é dado a graça do novo nascimento em Deus Pai por meio de seu Filho no Espírito Santo. Porque os que são portadores do Espírito de Deus são conduzidos ao Filho; mas o Filho os apresenta ao Pai, e o Pai lhes concede a incorruptibilidade. Portanto, sem o Espírito não é possível ver ao Filho de Deus, e sem o Filho, ninguém pode aproximar-se do Pai, porque o conhecimento do Pai é o Filho, e o conhecimento do Filho de Deus se alcança pelo Espírito Santo.

Vida e Fé. O Espírito Santo com sua graça é o “primeiro” que nos desperta na fé e nos inicia na vida nova. Ele é quem nos precede e desperta em nós a fé. Entretanto, é o “último” na revelação das pessoas da Santíssima Trindade.

O Espírito Santo coopera com o Pai e o Filho desde o começo do Desígnio de nossa salvação e até sua consumação. Somente nos “últimos tempos”, inaugurados com a Encarnação redentora do Filho, é quando o Espírito se revela e nos é dado, e é reconhecido e acolhido como Pessoa.

O Paráclito. Palavra do grego “parakletos”, o mediador, o defensor, o consolador. Jesus nos apresenta ao Espírito Santo dizendo: “O Pai vos dará outro Paráclito” (Jo 14,16). O advogado defensor é aquele que, pondo-se de parte dos que são culpáveis devido a seus pecados os defende do castigo merecido, os salva do perigo de perder a vida e a salvação eterna. Isto é o que Cristo realizou, e o Espírito Santo é chamado “outro paráclito” porque continua fazendo operante a redenção com a que Cristo nos livrou do pecado e da morte eterna.

Espírito da Verdade: Jesus afirma de si mesmo: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida” (Jo 14,6). E ao prometer o Espírito Santo naquele “discurso de despedida” com seus apóstolos na Última Ceia, diz que será quem depois de sua partida, manterá entre os discípulos a mesma verdade que Ele anunciou e revelou.

O Paráclito, é a verdade, como o é Cristo. Os campos de ação em que atua o Espírito Santo são o espírito humano e a história do mundo. A distinção entre a verdade e o erro é o primeiro momento de tal atuação.

Permanecer e atuar na verdade é o problema essencial para os Apóstolos e para os discípulos de Cristo, desde os primeiros anos da Igreja até o final dos tempos, e é o Espírito Santo quem torna possível que a verdade sobre Deus, o homem e seu destino, chegue até nossos dias sem alterações.

Símbolos

O Espírito Santo é representado de diferentes formas:

  • Água: O simbolismo da água é significativo da ação do Espírito Santo no Batismo, já que a água se transforma em sinal sacramental do novo nascimento.

  • Unção: Simboliza a força. A unção com o óleo é sinônimo do Espírito Santo. No sacramento da Confirmação o confirmando é ungido para prepará-lo para ser testemunha de Cristo.

  • Fogo: Simboliza a energia transformadora dos atos do Espírito.

  • Nuvem e Luz: Símbolos inseparáveis nas manifestações do Espírito Santo. Assim desce sobre a Virgem Maria para “cobri-la com sua sombra” . No monte Tabor, na Transfiguração, no dia da Ascensão; aparece uma sombra e uma nuvem.

  • Selo: é um símbolo próximo ao da unção. Indica o caráter indelével da unção do Espírito nos sacramentos e falam da consagração do cristão.

  • A Mão: Mediante a imposição das mãos os Apóstolos e agora os Bispos, transmitem o “Dom do Espírito”.

  • A Pomba: No Batismo de Jesus, o Espírito Santo aparece em forma de pomba e posa sobre Ele


VASSULA A MENSAGEM DE 05 DE MAIO DE 2011

junho 7, 2011

“Diz ao Meu povo e recorda-lhe que: o amor apaga muitos pecados; provai que vosso amor uns pelos outros é verdadeiro …

permiti-Me refrescar vossas memórias: é uma bênção para vós quando eles vos insultam e perseguem por Amor a Mim, porque isso prova que Eu, Deus, estou Me apoiando em vós … se vós só agradásseis aos homens Eu não teria vos chamado; se vós só trabalhásseis com afinco pelos vossos interesses e vossa glória e não para a Minha, Eu teria tirado Meus Olhos de vós;

escancarai vossos corações e recebei-Me; sede unidos, ajudando-vos uns aos outros e tentando consolar Meu povo nestes tempos; o amor ao vosso próximo deve ser o vosso maior interesse;

Lembrai-vos de proclamar Minha Mensagem a todos ao redor pois, o cheiro de morte alcançou o céu e o castigo que aguarda esta geração virá sobre a terra devido à sua incredulidade e apostasia; os enviados que Eu vos envio não são ouvidos e o Meu Espírito é blasfemado; muitos estão indiferentemente ferindo Minha Igreja, apedrejando Meus profetas; muitos estão arruinando e agora sinais visíveis são dados na proporção e na medida de sua apostasia e de seus pecados;

miséria e aflição estão sobre esta geração infiel; estes são sinais já dados a eles devido a sua recusa de se reconciliarem Comigo;

Eu já justifiquei muitos de vós ante Meu Pai, todavia, Eu quero um retorno de amor, um retorno de fidelidade; Eu vos revelei como Eu trabalho e o que estou procurando; ouvistes a Minha Mensagem de Unidade e acreditastes nela; Eu vos mostrei o propósito do Meu apelo; vós o aceitastes dando-Me grande honra; pode alguém negar aquilo em que acredita? Mantende vivo em vosso coração aquilo que aprendestes no começo e recusai-vos a trair o Meu Sangue; Eu vos dou a Minha Paz dizendo-vos: não temais pois Eu Estou convosco; portai o Meu Nome 1 e honrai-Me; ic”

 


1 Compreendi que “portar o nome de Cristo” significa carregar Sua Cruz, mas como uma vez Ele falou: Sua Cruz não traz apenas sofrimentos mas também alegrias …

GOTAS DE SANGUE DE CRISTO

junho 7, 2011

GOTAS DE SANGUE DE CRISTO 

Devoção

Consiste em recitar durante 3 anos, cada dia, dois Pai-Nossos, duas Ave-Marias e dois Glórias, em honra das gotas de Sangue que Cristo derramou por nossa salvação.

Explicação

O texto representa uma cópia da carta ditada por Nosso Senhor Jesus Cristo as Santas: Matilda, Bridget e Isabel de Hungria, que pediam a Jesus detalhes sobre sua Paixão antes da crucificação.

Recebe o nome de: “A Oração” e foi encontrada no Santo Sepulcro de Jerusalém no final de 1800.

Se guarda hoje no Vaticano em uma caixa de prata desde que em 5 de Abril de 1890 em Roma a reconheceu o Papa Leão XIII.

A carta relata as Palavras de Cristo em Sua aparição as santas.

“Desci do céu à terra para converter-vos.

Na antiguidade as pessoas eram religiosas e suas colheitas abundantes; no tempo presente, pelo contrário, são escassas.

Se quiseres colher com abundância não deveis trabalhar aos Domingos, pois nos Domingos deveis ir a Igreja e rezar para que Deus perdoe vossos pecados.

Ele vos deu seis dias para trabalhar e um para o descanso e a devoção, para oferecer vossa ajuda ao pobre e assistir a Missa.

As pessoas que disputam contra Minha religião ou lançam calúnias sobre esta Carta Sagrada, serão por Meu amparo abandonadas.

Pelo contrário, aquelas que levem consigo uma cópia desta Carta, se livrarão de morrer por afogamento ou de forma repentina; de morrer de enfermidades contagiosas ou por raio; de morrer sem confissão, se livrarão de seus inimigos e da mão da autoridade injusta, e de todos os seus difamadores e falsos testemunhos.

As mulheres que no tempo de parto se achem em perigo, conservando com elas esta Oração, superarão a dificuldade imediatamente.

Nas casas onde se guarde esta Oração nunca ocorrerá nada de mau: e quarenta dias antes da morte de uma pessoa que possua esta Oração, a Santíssima Virgem lhe aparecerá.

Assim o disse a São Gregório.

A todo fiel que recite durante 3 anos, cada dia, dois Pai-Nossos, duas Ave-Marias e dois Glórias, em honra das gotas de sangue que perdi, lhe concederei as cinco graças seguintes:

1.- A indulgência plenária e remissão de seus pecados.

2.- Estará livre das penas do Purgatório.

3.- Se tiver que morrer antes de completar os três anos, para ele será como se os tivesse completado.

4.- A hora de sua morte, será como se houvesse derramado todo seu sangue pela Santa Fé.

5.- Eu mesmo, descenderei do céu para levar sua alma e a de seus familiares, até a quarta geração.

Que se saiba:

O número de soldados armados era de 150; os que Me arrastaram amarrado foram 23.

Os carrascos, 83; os golpes recebidos em Minha cabeça, 150; em Meu estômago, 108; os pontapés em Meus ombros, 80.

Fui, atado, levado arrastado pelo cabelo 24 vezes; cuspiram sobre Meu rosto 180 vezes; fui golpeado 6666 vezes no corpo; 100 vezes na cabeça.

Fui brutalmente empurrado e as 12h em ponto levantado pelos cabelos; espetado com espinhos e arrancaram a barba 23 vezes; recebi 20 feridas na cabeça; (farpas secas, 72); pontas de espinho em minha cabeça, 110; espinhas mortais na fronte, 3.

Depois fui açoitado e vestido como um rei de burla; as feridas no corpo, 1000.

Os soldados que me levaram ao Calvário foram 608; me olharam 3, e riram de Mim 1008; as gotas de Sangue que perdi foram 28.430.”

S.S. Papa Leão XIII, Roma, 5 Abril, 1890.